Total de visualizações de página

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Amor, sendo sincero, conseguindo só ir dormir agora, sou extremo existencialista, podem até dizer "quem pensa muito não vive", mas como viver sem pensar? Juro que tento, busco a normalidade, as horas comuns do cotidiano, mas é uma luta perdida, de experimentalista, de um insone, de um que passou pelas trevas noites da Casa do estudante Universitário e se entupiu de fantasmas e livros, um que quer sempre esticar a noite ao máximo...Beijinhos, te amo mesmo sendo diferente de você

( edu planchêz )

Nenhum comentário:

Postar um comentário